quarta-feira, 28 de setembro de 2011

KUAN YIN - A DEUSA DA MISERICÓRDIA


Kuan Yin ou Guanyin é o bodhisattva[1] associado com a compaixão tal como é venerada pelos budistas da Ásia Oriental, geralmente na forma feminina. O nome Guanyin e uma abreviação de Guanshiyin que significa "Observar os sons (ou lamentos) do Mundo”. Comumente conhecida nos idiomas ocidentais como Deusa da Misericórdia, Guanyin também é cultuada pelos taoistas chineses como um dos Oito imortais.

No budismo chinês, Kuan Yin representa a compaixão ou misericórdia de todos os Buddhas e tem sua simbologia advinda do bodhisattva Avalokiteshvara, divindade tradicionalmente masculina do budismo indiano, que dá origem a várias representações asiáticas, e que chegou à china com o budismo no ano de 67, sincretizando-se com divindades femininas locais. Mais tarde, no arquipélago das ilhas Filipinas, muito influenciado pela presença do catolicismo espanhol, passou a ganhar aspectos de Madona. Na China, Kuan Yin está associada às características femininas da maternidade e proteção, ligadas milenarmente de modo bastante forte à misericórdia.

Kuan Yin existiu como pessoa, igual a todos os seres humanos e somente depois de sua morte foi transformada em Deusa. É cultuada em todo o mundo por milhões de pessoas, que a consideram o símbolo máximo da pureza espiritual. Enquanto viveu, percorreu o mundo, viu muita dor e então, jurou proteger e amparar todos os humanos até que o último sofrimento acabe. Ela nos diz que se você cantar seu mantra diariamente cultivará a compaixão que curará o mundo das mais dolorosas feridas.

Todos que trabalham com sua energia, sabem o quanto ela é doce e sutil, mas também o quanto é poderosa. Somente a menção de Seu Nome alivia o sofrimento e as dificuldades. Mesmo tendo alcançado a iluminação, Ela optou por permanecer no mundo dos seres humanos.

Por vezes Kuan Yin é representada com um dragão, pois ele é o símbolo mais antigo da alta espiritualidade, a sabedoria, a força e os poderes divinos de transformação. Outras vezes, é representada sentada sobre uma flor de lótus. A simplicidade que esta Deusa da Clemência gera ao seu redor e entre seus devotos, é de um forte sentimento de fraternidade universal. Seus padrões morais e humanos tendem a nos conduzir para nos tornarmos mais compassivos e misericordiosos. Kuan Yin aparece nas nossas vidas para dizer que está na hora de alimentarmos nossos corações com a compaixão. Compaixão pelos outros e também por nós mesmos.

REFERÊNCIAS

http://www.anjodeluz.net

http://pt.wikipedia.org



[1] Ser de sabedoria elevada, que seguem uma prática espiritual que visa remover obstáculos e beneficiar todos os demais seres sencientes.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

MARIA LIONZA


María Lionza é o nome de uma figura mitológica da Venezuela, centro de um culto que reúne elementos das religiões indígenas, do espiritismo, das religiões afro-americanas e do catolicismo.

O culto de María Lionza encontra-se difundido um pouco por toda a Venezuela, mas o seu centro é o chamado "Cerro de María Lionza" no estado de Yaracuy, que integra uma formação montanhosa de nome Macizo de Nirgua. Este local, caracterizado pela sua intensa vegetação, é de alvo de peregrinações por parte dos participantes no culto, sobretudo na época da Semana Santa ou no dia 12 de Outubro (dia que até pouco tempo celebrava a chegada de Cristóvão Colombo à América, tendo sido readaptado como "Dia da Raça").

Em nível iconográfico, María Lionza é representada como uma mulher com um vestido azul, com jóias e plumas, cavalgando uma anta, sendo acompanhada por animais selvagens como pumas e jaguares.

FONTE: pt.wikipedia.org