terça-feira, 24 de maio de 2011

ELEGUÁ - EXU NA VISÃO CARIBENHA


Representação de Exu (Eleguá) em um dos olhares do Caribe.
Arte de Carolina Gonzales.

IMBANDA

A palavra IMBANDA, do idioma kimbundu, significa Xamãs, Curandeiros ou Feiticeiros.

IMBANDA é plural de KIMBANDA: xamã, curandeiro ou feiticeiro.

Existem casos que esta palavra é pronunciada Embanda. Daí veio a palavra UMBANDA.

Esta é a explicação linguística. A explicação religiosa e mística
da palavra Umbanda é dada na revelação da religião, pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas.

Uma completa a outra.

PALAVRAS DE ZÉLIO DE MORAES

O Caboclo das Sete Encruzilhadas era chamado de “Chefe” pelos adeptos da Tenda Nossa Senhora da Piedade.


“(…) o chefe acha que espiritismo não é pra perder tempo, que o espírito baixa, é pra fazer caridade, ou pra ensinar, o chefe não sai daí, ou pra ensinar, ou pra fazer caridade…”


”Bater tambor para fazer bonito, escutar e todo mundo… não é pra nossa Umbanda, espírito não perde tempo, quando baixa é pra fazer caridade, o Chefe não aceita e eu não saio fora do Chefe..."


Segundo Pedro Kritski o fato de na Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade não usar atabaques e qualquer outro tipo de instrumento musical em seus rituais de Umbanda, em nada tem a ver com possíveis crises de labirintite do dirigente desta casa, ou ainda, pela repressão policial existente na época da fundação da TENSP…, e sim por motivos doutrinários, ensinados pelo próprio Caboclo das Sete Encruzilhadas, onde se entende que o uso de atabaques, tambores e demais instrumentos geram um ambiente pernicioso à concentração e disciplina exigida para o desenvolvimento dos médiuns e da execução dos trabalhos.



Mais uma vez, reafirmo que a Umbanda e a sua história precisam ser estudadas pelos seus integrantes e dirigentes, pois só assim poderemos chegar a um respeito real, reconhecendo as diferenças e divulgando os reais entendimentos que fundamentam as práticas de cada vertente.

Pedro Kritski

Para maiores detalhes sobre o tema visitem o importante blog

http://registrosdeumbanda.wordpress.com

segunda-feira, 23 de maio de 2011

HISTÓRIA DA UMBANDA: CONHECENDO AS NOSSAS ORIGENS

Conhecer as origens da Umbanda propicia o entendimento dos diferentes e eficientes rituais praticados nos terreiros do Brasil e pelo mundo afora.

O ponto alto da História da Umbanda ocorre com Diamantino Fernandes Trindade e Ronaldo Antonio Linares e, agora, com o livro de Alexandre Cumino. Apresentamos a seguir o release das obras onde os autores tratam do assunto fundamentados em fontes primárias (documentos originais e depoimentos).

Umbanda Brasileira: um século de história – Diamantino Fernandes Trindade – Ícone Editora

Iniciação à Umbanda – Ronaldo Antonio Linares; Diamantino Fernandes Trindade; Wagner Veneziani Costa – Madras Editora

Antonio Eliezer Leal de Souza: o primeiro escritor da Umbanda – Diamantino Fernandes Trindade – Editora do Conhecimento

A construção histórica da literatura umbandista - Diamantino Fernandes Trindade – Editora do Conhecimento

História da Umbanda: uma religião brasileira – Alexandre Cumino – Madras Editora

Memórias da Umbanda do Brasil – Ronaldo Antonio Linares e Diamantino Fernandes Trindade – Ícone Editora


SITES DAS EDITORAS

www.iconeeditora.com.br

www.madras.com.br

www.edconhecimento.com.br


UMBANDA BRASILEIRA: UM SÉCULO DE HISTÓRIA


A comunidade umbandista se regozija, pois, com seriedade, pesquisa e imparcialidade, tem a história da sua implantação em terras brasileiras, contada e comentada neste livro.

Pesquisador incansável, médium admirável e escritor talentoso. Diamantino soube como ninguém distribuir os diferentes aspectos desta doutrina maravilhosa que é a Umbanda, buscando na fonte a exatidão dos fatos, a riqueza do conhecimento e a sublimidade da prece. Esta obra dará ao mais leigo dos leitores e até mesmo ao simples curioso dos fenômenos espíritas, uma visão ampla e clara do que, onde, como, quando e por que a Umbanda existe e resiste ao alvorecer do terceiro milênio. A história, a prática, os ritos, a similitude com outros cultos e a comparação com os diferentes autores que o precederam, são contadas de forma natural, como se estivéssemos, ora lendo uma notícia, ora lendo um conto ou um romance, tão suave, clara e gostosa de ler é a sua maneira de escrever. Nesta obra o leitor umbandista, o simples simpatizante, ou até mesmo o pesquisador neutro, mas consciente, encontrarão todo o necessário à perfeita compreensão do que realmente constitui a História da Umbanda. O autor não se ateve apenas aos fatores místicos; adentrou para a pesquisa de fundo antropológico, social, cultural e até metafísico. Esta editora sente-se envaidecida de poder de levar a sociedade cultural brasileira tão expressiva obra.

INICIAÇÃO À UMBANDA


A Umbanda é uma religião brasileira centenária que cultua os Orixás (divindades), os quais influem diretamente nos mensageiros espirituais, que são as entidades incorporadas pelos médiuns para que os trabalhos sejam realizados. Nos terreiros de Umbanda são desenvolvidos diversos trabalhos para o amparo às milhares de pessoas que buscam um conforto espiritual para as mais diversas situações que vivenciam no dia a dia. Nesta obra, os autores apresentam a história da Umbanda, seus fundamentos, suas sete linhas, sua ritualística, as características dos Orixás e de seus "filhos", além de explanar sobre as entidades que atuam nos trabalhos e a respeito de mediunidade, tudo explicado em uma linguagem clara e objetiva, de modo que o leitor possa ser introduzido em uma verdadeira iniciação à Umbanda. Trata-se de um guia prático tanto para o leitor iniciante quanto para médiuns e sacerdotes de Umbanda.

ANTONIO ELIEZER LEAL DE SOUZA: O PRIMEIRO ESCRITOR DA UMBANDA


Pouco se sabia até agora sobre a vida e a obra de Leal de Souza, brilhante escritor que teve papel de destaque no parnasianismo do início do século XX. Jornalista e crítico literário lançou em 1925 o primeiro livro sobre Umbanda, intitulado No Mundo dos Espíritos, em que relata um inquérito realizado nos centros espíritas e terreiros do Rio de Janeiro, durante um ano, bem como detalhes sobre sua ligação com Zélio de Moraes e a Tenda Nossa Senhora da Piedade. Sua segunda obra, O Espiritismo, a Magia e as Sete Linhas de Umbanda, é, no entanto a primeira a detalhar aspectos fundamentais da Umbanda, a exemplo das sete linhas brancas e os orixás, numa época em que era uma heresia falar sobre o assunto, pois tudo a respeito era considerado “macumba”. A iniciativa valeu-lhe então o mérito de “precursor de um ensaio de codificação” da Umbanda. Leal de Souza fazia parte do círculo literário de Olavo Bilac, Alcides Maya, Humberto de Campos, e outros baluartes da literatura brasileira. Como espírita, entrou para a história das religiões como o primeiro escritor umbandista. Nesta obra, que dá prosseguimento ao resgate histórico das memórias da Umbanda, o professor e pesquisador Diamantino Fernandes Trindade desvela a dedicação de Leal de Souza à espiritualidade, especialmente como praticante admirável e defensor ardente desta religião, chamada no início do século de Espiritismo de Terreiro, bem como sua brilhante carreira como poeta e jornalista. Mesmo após o desencarne, em 1948, Leal de Souza continua atuando na sustentação da Umbanda. Nestas memórias, o leitor poderá conhecer poemas publicados pelo escritor em livros e revistas, quando em vida, e ter acesso ao belíssimo poema Morte e Encarnação, ditado por ele a Chico Xavier, após o desencarne.

A CONSTRUÇÃO HISTÓRICA A LITERATURA UMBANDISTA


Esta obra é um convite para mergulhar no mundo literário da umbanda, penetrando em sua realidade e seus mistérios. A literatura umbandista é diversa em conteúdo e profundidade. Boa parte das obras está voltada para os aspectos exteriores da religião, como rito e magia. Mas existe também outra parte que propõe a racionalização da umbanda, buscando explicações que fundamentem a filosofia e ação dessa crença brasileira. Assim, nos primórdios da implantação da umbanda muitos escritores trabalharam abnegadamente com o intuito de esclarecer, unir, normatizar e até mesmo codificar os preceitos umbandistas. Há diversas maneiras de escrever essa história. Esta, que apresentamos aos leitores ansiosos por conhecimento, é algo inédito: um estudo sobre os autores, os livros, as revistas e publicações umbandistas, isto é, um estudo da ótica literária umbandista construída ao longo de mais de oitenta anos de história. Para quem se interessa pela Umbanda em profundidade, aqui está uma obra ímpar, de inestimável valor, que dá prosseguimento ao resgate de sua história. Mas vai muito além: escrita e organizada magistralmente pelo pesquisador Diamantino Fernandes Trindade, destina quase trezentas páginas àqueles que questionam: de onde vem e para onde vai a umbanda? Não perca esta oportunidade. Permita-se absorver algo que só seria possível com anos de leitura e pesquisa.

A HISTÓRIA DA UMBANDA: UMA RELIGIÃO BRASILEIRA


Foram 100 anos de muita luta para nós. Fiquei muito feliz em ter em mãos uma grande pesquisa sobre a nossa Umbanda, bem esclarecedora. Parabéns! - Lygia Cunha - neta de Zélio de Moraes e Presidente da Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade Considero o livro do Alexandre uma referência fundamental para todos aqueles que queiram conhecer um pouco mais a fundo a história da Umbanda. - Leonardo Cunha dos Santos - um trabalhador da Umbanda do Cabloco das Sete Encruzilhadas, bisneto de Zélio de Moraes Ah, como teria sido mais fácil o meu trabalho se nas décadas de 1950 e 1960 eu pudesse ter lido este livro. - Pai Ronaldo Linares - Sacerdote de Umbanda, Presidente da FUGABC Espero que este livro torne-se fundamental para o estudo, tanto da história da Umbanda quanto dela própria como uma religião brasileira, fundada por um brasileiro. - Pai Rubens Saraceni - Sacerdote de Umbanda, Médium Psicógrafo e Presidente do Colégio de Umbanda Sagrada Pai Benedito de Aruanda Alexandre Cumino nos presenteia com este livro. Fruto de pesquisa consistente de um religioso incansável, sensível e coerente. - Prof. Dra. Patrícia Ricardo de Souza - Faculdades Integradas Claretianas, São Paulo Religião é indispensável para a vida, como bem afirma Riobaldo, em Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa: todo-o-mundo é louco. O senhor, eu, nós, as pessoas todas. Por isso é que se carece principalmente de religião: para desendoidecer, desdoidar. Reza é que cura loucura. É nesta perspectiva que se enquadra o excelente trabalho de Alexandre Cumino, que busca garantir a memória dos grandes feitos dos que fizeram e fazem a Umbanda contribuir para desendoidecer, desdoidar muita gente. - Prof. Dr. Antonio Boeing - Coordenador do Curso de Bacharelado de Ciências da Religião nas Faculdades Integradas Claretianas, São Paulo.

MEMÓRIAS DA UMBANDA DO BRASIL


A história da Umbanda é uma grande pesquisa em construção. Assim, sempre que novos documentos se apresentam, os autores procuram fazer a sua divulgação para que cada vez mais os umbandistas conheçam as origens e o desenvolvimento histórico da sua religião. Esta obra resgata alguns desses documentos e aborda alguns temas que, ao longo da história, tem sido motivo de muitos estudos e polêmicas como as conquistas dos umbandistas, a Umbanda na Mídia, a metodologia utilizada na pesquisa histórica da Umbanda, pontos de força de um terreiro, obsessores, animismo e mistificação. Quando novos documentos se apresentam é necessário um novo olhar sobre determinado tema. Assim ocorre neste livro com uma revisão do início da História da Umbanda. Outros temas, de grande interesse dos umbandistas, são tratados à luz da razão como: as oferendas e obrigações à Yemanjá, o uso indevido dos pontos cantados, aspectos históricos do Hino da Umbanda, banhos e defumações. O leitor encontrará ainda nesta obra um resgate sobre reportagens, livros e revistas que muito contribuíram para a divulgação da Umbanda. Uma interessante viagem no túnel do tempo mostra imagens que nos trazem muita saudade de tempos idos e também dos tempos atuais. Leal de Souza reaparece com novos documentos pesquisados e revelados. Esta obra é uma importante contribuição aos milhões de umbandistas que diariamente frequentam os terreiros no Brasil e em outros países.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

MEMÓRIAS DA UMBANDA DO BRASIL


Queridos irmãos!
Em junho teremos o lançamento da obra MEMÓRIAS DA UMBANDA DO BRASIL, de autoria de Ronaldo Antonio Linares e Diamantino Fernandes Trindade.