quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Que Planeta queremos deixar para as próximas gerações?


A preocupação com o destino de nosso Planeta é manifestada de diversas formas. O brilhante artista Uiraquitã Rodrigues Pinto (06/08/1954 - 19/10/2004), que assinava QUITÃ, expressou sua apreensão e indignação com a sublime obra Tristeza de Cristo. Sobre isso escreveram os professores do CEFET-SP, Utabajara Rodrigues Pinto, seu irmão, e Eduardo Mosaner Jr:
Felizmente Cândido Portinari teve seu talento devidamente reconhecido, contudo, nem sempre isso acontece. Sobretudo no Brasil, há um grande número de artistas talentosos que vivem no anonimato, outros vão para o exterior onde finalmente conseguem se destacar. No entanto, para o verdadeiro artista não é a fama que o realiza, mas a emoção daqueles que contemplam as suas obras. O artista sabe que a Arte é exatamente como uma flor cuja beleza não depende do jardim.
Assim como uma flor, uma obra de Arte é sempre bela, não importa onde esteja, pode estar gravada em um velho muro, pode estar em um pequeno ateliê, pode estar em uma importante galeria ou numa calçada da praça pública de um grande centro urbano talvez, ou de uma cidadezinha qualquer. Pode ser São Paulo, pode ser Congonhas do Campo, pode ser Ouro Preto ou logo ali... em Resende, no Vale do Paraíba. Este quadro de óleo sobre tela com a IMAGEM DE CRISTO é uma dessas obras que dispensa comentários. Ela foi pintada pelo artista plástico e ser humano indescritível, inigualável e de enorme talento: Quitã. Ele morava em Resende no Rio de Janeiro onde pintou suas mais belas obras e onde também faleceu em outubro de 2004. Para seus herdeiros o quadro não tem preço, é inegociável. Esta obra chegou a ser premiada na Itália e hoje faz parte do acervo do artista.

Nenhum comentário: